Todos têm suas razões para crer! De igual modo, possuem razões para não crer. E isso não deveria dividir-nos enquanto humanidade. Do ponto de vista humano, crer ou não na existência de Deus não nos faz mais ou menos inteligentes, a faculdade de raciocinar é independente de nossas preferências, ela simplesmente está lá. Poeticamente falando, porém, sem afastar a verdade, raciocinar é algo que nos precede e que se manifesta, singela e paulatinamente, respeitando nossas primeiras cogitações infantis.
Nossos pensamentos e sentimentos, por si só, não se mostram conhecidos ao próximo, eles necessitam de expressões, de atitudes, de voz, do tato. Porém, são reais e sempre estão lá, ansiando externar-se, o tempo todo!
Fomos maravilhosamente projetados, pois, em nossa constituição existe o que é palpável e o que não é, no entanto, ambos são verdadeiros e igualmente necessários ou não seríamos o que somos! É como possuir duas naturezas distintas, uma cientificamente comprovada pela biologia e outra, pelo que é empírico, "penso, logo existo"! Ainda assim referem-se ao mesmo indivíduo.
A esses itens: mente, vontade e emoção, chamamos de alma, nosso psiquê, nossa personalidade! Ela revela o que de fato somos: humanos! Seres cuja complexidade transcende toda ciência conhecida.
Particularmente, como professor, desconheço qualquer construção que antecedeu seu arquiteto ou qualquer projeção sem que haja um projeto. Enfim, como cristão que sou, abraço minhas experiências e, só posso cogitar que, se eu tenho a capacidade de amar é porque existe um Amor maior que a precede. Se existo, só posso desejar, ardentemente, conhecer o arquiteto que me projetou! Por outro lado é, para mim, escrupulosamente contraditório aceitar que minha parte imaterial, tal como o amor que nutro por meus filhos, é real e não aceitar a existência de um Deus cuja essência é o próprio Amor! Deus é Amor! Deus é Espírito! E assim como meus sentimentos necessitam de meios humanos para externar-se, Ele me amou vestindo-se de humanidade!
Ao que me parece, e agarro por verdade irresistível, que a existência Dele não pode ser tomada por postulado, tão pouco por teorema, já que é, fascinantemente axiomática! O que fala mais forte ao seu coração?